Ata do Conselho Fiscal – 13 de Março de 2014

ATA DE REUNIÃO DO CONSELHO FISCAL DA COOPERATIVA DE CRÉDITO DOS MAGISTRADOS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO LTDA. MAGICREDI-RJ REALIZADA NO DIA 13 DE MARÇO DE 2014.

Aos treze (13) dias do mês de março de 2014, às 11:00 horas, reuniu-se na sede da Cooperativa de Crédito dos Magistrados do Estado do Rio de Janeiro, o Conselho Fiscal da MAGICREDI-RJ. Presentes à reunião o Des. Rogério de Oliveira, Des. Albano de Mattos Corrêa, Des. Hélio de Farias e membros efetivos do Conselho Fiscal, Des. Antônio Carlos Esteves Torres, como Auditor Interno, e ao Contador, Sr. Luiz Henrique dos Santos. Dada a palavra ao Dr. Luiz Henrique, este ressaltou que está mantido o equilíbrio operacional de sempre, observando o resultado líquido (operacional) de R$ 125.962,46. O volume de movimentação financeira (fluxo de caixa) apresentou resultado negativo, por conta da associação entre o maior volume de resgate e empréstimos, e, conseqüentemente, reduzidas as disponibilidades, no percentual de 26,69%. Ressalte-se o ajuste positivo da carteira de crédito num percentual de 8,66%. O Conselho relembra que as cooperativas, em geral, estão sujeitas a regras de segurança e contenção, como todo agente financeiro. Para o mês de fevereiro (levando-se em consideração os algarismos referentes a janeiro), mantidas as políticas conservadoras da instituição:

                                                                                                                                                           Em R$1,00

Dados relativos ao mês de FEVEREIRO/2014                                           Comparativo ao mês
                                                                                                                                              01/2014

a) Montante das aplicações e recursos em espécies;

                                          Caixa                              1.500,00
Disponibilidade            Bancos                       108.900,87                                   110.400,87

 

                                           Itaú PP CP                         1.167.736,97
                                           CEF FIC                             223.747,41
Investimento                  Poupança CEF                 1.065.922,85
                                           OP. Compromissadas    –
                                           Bradesco CP                      1.211.391,19                          3.668.798,42
Reserva Técnica …………………………………… ……………                             3.779.199,29          – 26,69%

 

– Rendimento da Reserva Técnica no mês (taxa média 0,78%) –                    28.200,88

 

b) Montante dos créditos a receber

 

Carteira de Crédito ……………………………………………… 16.737.393,82 + 8,55%
(-)Juros a receber………………………………………………….. 4.311.230,90 + 8,23%

                                                                                  Líquido ……… 12.426.362,92 + 8,66%

 

c) Classificação de Risco da Carteira de Crédito

                                  02/2014                                                 01/2014                                Risco

Nível A              12.426.362,92      100%                11.435.894,47     100%                0,50%

Total …              12.426.362,92     100%                11.435.894,47      100%

 

d) Total do que se deve aos aplicadores.

 

Recursos de Terceiros – Depósitos a Prazo …………….. 11.841.186,94 – 2,43%

(-)Juros a pagar……………………………………………………. 661.955,17 – 0,47%

                                               Líquido………………………….. 11.179.231,77 – 2,54%

  

e) Total do que se deve em cotas aos associados.

 

Cotas de Capital ……………………………………………………….. 4.556.408,89 – 0,89%

 

Sócios Fundadores (Capital Inicial)….. 7.962,00

Cotas Integralizadas + Capitalizações… 4.548.446,89

 

Relatório Mensal

Na comparação com o mês de JANEIRO de 2014 e considerando a performance no decorrer do período, pontuamos os itens de maior relevância:

Disponibilidades – As disponibilidades, somatório dos recursos em espécie, em caixa e bancos, encerraram o mês com o montante de R$110.400,87;

Reserva Técnica – O somatório das aplicações financeiras acrescido das disponibilidades totalizou R$3.779.199,29.

a) Os recursos captados e os reinvestimentos totalizaram R$464.372,09

b) As amortizações e liquidações antecipadas somaram R$932.916,02;

c) Os resgates atendidos no mês atingiram R$977.610,36;

d) As liberações de novos empréstimos e os refinanciamentos somaram R$1.721.646,75;

e) Total de juros recebidos R$201.737,72;

f) Total de juros pagos R$8.158,38;

g) O resultado operacional líquido foi de R$125.962,46;

Por conta da associação do maior volume de resgates, bem como da liberação de empréstimos acima do esperado , a ponderação da movimentação financeira, entradas e saídas de caixa, Fluxo de Caixa da Atividade Operacional, fechou negativa em R$1.375.803,60, fixado, por tanto em algarismos absolutos o montante negativo de R$227.053,44 (fluxo de caixa).

Carteira de Crédito – A carteira cresceu 8,66%. O volume emprestado no período totalizou R$3.460.150,41, média mensal de R$1.730.075,21, superando em 17,95% a média apurada no ano base de 2013 – R$1.466.801,79. O nível do risco de crédito permaneceu inalterado, sem inadimplência, mantendo o indicativo de risco no “Nível A”.

Recursos de Terceiros – A movimentação financeira, diferença entre a captação de novos investidores e os resgates das aplicações, foi negativa em R$513.238,27.

Cotas de Capital – A movimentação da conta “Capital Social” fechou negativa. O maior volume de resgates, no mês, contabilizou um decréscimo de R$40.763,26 na conta Capital.

Resultado Operacional – Continua mantida a capacidade operacional, verificada na comparação entre as receitas e obrigações com pagamento de juros. A receita de juros, embutida nas operações de crédito, totalizou R$4.311.230,90, enquanto a despesa com captação (juros a pagar) somou R$659.331,83.

Estratégia Operacional – O Banco Central do Brasil manteve o ritmo do aperto monetário e ajustou mais uma vez a taxa básica de juros, visando o controle da inflação. Os indicadores se deterioraram e as incertezas com o crescimento interno aumentaram num horizonte de 24 meses. Com isso, é pouco provável que a inflação desacelere abaixo de 6% ao ano.

Mantida a política prudencial e de observação das taxas de juros nos mercados futuros. Seguimos com a alocação em juros prefixados ao nível do ponto neutro. Dessa forma, optamos por manter nossas taxas aos níveis adequados à nossa política, utilizando, sempre, o critério de salvaguarda inarredável consistente na diminuição possível do universo do risco. Garantindo a competitividade de mercado, sem contudo deixar de beneficiar os nossos colaboradores (quotistas e investidores).

Nossa Carteira de Crédito, bastante conservadora, continua performando positivamente. No mês, à taxa média de retorno da carteira de crédito foi de 1,65% e a ponderação da receita operacional líquida fechou em 1,03%am, superando o benchmark sugerido, Taxa DI de 0,78%am, respectivamente em 111,54% e 32,05%.

Nada mais havendo, foram aprovados os balancetes dos meses de janeiro e fevereiro, determinando-se o encerramento deste ato, com a lavratura da ata, que vai assinada por todos os participantes.

Rio de Janeiro, 13 de março de 2014.

 _________________________________        ________________________________

DES. ROGÉRIO DE OLIVEIRA SOUZA                     DES. ALBANO DE MATTOS CORRÊA
                           Coordenador                                                                         Secretário

 _________________________________      _____________________________________

                    DES. HÉLIO DE FARIAS                      DES. ANTÔNIO CARLOS ESTEVES TORRES

 




© MAGICREDI | Website by A.Companhia